Wednesday, 1 February 2006

Lìbano- Beiruth e Biblos




























Tive a Oportunidade de conhecer esse Paìs tao rico de Cultura, em janeiro de 2006 alguns meses antes da Guerra, nao imaginei que era um Paìs tao lindo, pequeno demais em um giro de 3horas dà para visitar todo o territorio com montanha e mar a 30 minutos de distancia. Minha estadia foi na parte Cristiana onde nao vi ninguèm coberta dos pès a cabeça. Provei a comida tipica do Libano adorei um risoto com peixe e suco de limao, sò de pensar me dà agua na boca e o Kibe cru (que nao gostei muito) Eles tambèm comem figado cru, mas esse nao tive coragem...
O Líbano (em árabe em árabe: لُبْنَان, transl. Lubnān, em francês: Liban) , oficialmente República do Líbano (em árabe: اَلْجُمْهُورِيَّة اَللُّبْنَانِيَّة Jumhuriyah al-Lubnānīyah; Francês: République libanaise), é um país da Ásia Ocidental, na costa oriental do Mar Mediterrâneo. Faz fronteira com a Síria ao norte e a leste e com Israel ao sul. A localização do Líbano, no cruzamento da bacia do Mediterrâneo e a região árabe tem ditado a sua história rica, às vezes violenta, e a forma da sua identidade cultural única em diversidade étnica e religiosa.

Os primeiros indícios de civilização no Líbano remontam mais de 7.000 anos de história registrada.O Líbano foi a casa dos Fenícios, uma cultura marítima que floresceu durante quase 2.500 anos (3000-539 a.C.). Após o colapso do Império Otomano após a Primeira Guerra Mundial, as cinco províncias que compõem o Líbano moderno foram mandatadas para a França. O Líbano estabeleceu um sistema político único em 1942, conhecido como confessionalismo, um mecanismo de partilha de poder com base em comunidades religiosas.Foi criado quando os franceses expandiram as fronteiras do Monte Líbano, que era maioritariamente habitado por Católicos Maronitas e Drusos, para incluir mais elementos muçulmanos. O país ganhou a independência em 1943, e as tropas francesas se retiraram em 1946.

Antes da Guerra Civil Libanesa (1975-1990), o país vivia um período de relativa calma e prosperidade, impulsionada pelo turismo, agricultura e serviços bancários. Por causa de seu poder financeiro e diversidade, o Líbano era conhecido em seu auge como o "Suíça do Oriente". O país atraiu um grande número de turistas,tal que a capital Beirute era referida como "Paris do Oriente Médio". No final da guerra, houve grandes esforços para reanimar a economia e reconstruir a infra-estrutura do país.

Até julho de 2006, o Líbano desfrutou de uma estabilidade considerável, a reconstrução de Beirute estava praticamente concluída e um número crescente de turistas se hospedavam nos resorts do país. Em seguida, a guerra de 2006 entre Israel e o Hezbollah causou a morte de civis e pesados e significativos danos na infra-estrutura civil do Líbano. O conflito durou de 12 de julho daquele ano até um cessar-fogo patrocinado pela ONU em 14 de Agosto.
Beirute (em árabe بيروت) é a capital e maior cidade do Líbano. Localiza-se na costa do Mediterrâneo. Tem cerca de 1.940.000 habitantes. Na antiguidade era uma cidade fenícia com a designação de Berytus. No passado recebeu a alcunha de a Paris do Oriente por sua atmosfera cosmopolita, anterior à Guerra Civil do Líbano. A capital todavia tem muitas atracções turísticas e oferece, entre elas o museu da universidade americana, o museu de Sursock, a gruta das pombas, muitos centros comerciais e uma grande quantidade de restaurantes com menus suculentos das cozinhas de todo o mundo, como especialidades libanesas locais.
Baci&Abbracci
Josi

No comments:

Post a Comment

Obrigado pelo seu recado e carinho! Respondo sempre aqui.

Baci&Abbracci